quarta-feira, 17 de outubro de 2007

Denúncia: Derrubada de árvores urbanas aumentam o aqueciemento local e global

       Está havendo uma verdadeira perseguição às velhas amendoeiras de Cabo Frio, e na Região dos Lagos no Estado do Rio de Janeiro, que estão sendo sacrificadas pelo poder público, com aval das Secretarias de Meio Ambiente, a pretexto de serem árvores exóticas, que levantam calçadas e atingem a rede elétrica, para plantarem  " Árvores Nativas".
 
imagem977.jpg
O que está acontecendo com as grandes árvores das ruas e  avenidas de Cabo Frio e outras cidades da Região dos Lagos? 
 
     Será que eles estão cegos para toda essa campanha sobre o aquecimento global, ou é discriminação botânica ? Porque as amendoeiras são afrodescendentes.
     Quem arrancar árvores já adaptadas por décadas, para plantar "árvores nativas" deveria ser enquadrado como, "Criminoso Ambiental", uma vez as árvores das vias públicas e até dos quintais residenciais, exóticas ou não, fazem parte da formação vegetal de uma cidade e são patrimônio de utilidade pública. As árvores nativas brasileiras estão adaptadas às outras árvores companheiras e à respectiva fauna acompanhante, incluindo agentes polinizadores, num determinado ecossistema, como o nome já diz, são NATIVAS e não urbanas. Nós é quem somos exóticos e ocupamos o lugar das florestas.
     Nessa falsa ilusão de trazermos árvores nativas para as cidades, deveríamos também trazer os animais nativos que as acompanham por milênios, juntamente com os homens nativos, para formar um equilíbrio ecológico, mas isso é impossível.
     Apesar disso, muitas espécies de pássaros silvestres da fauna brasileira estão adaptadas às árvores exóticas plantadas na área urbana, como as amendoeiras. Constantemente observamos , especialmente nas amendoeiras remanescentes dessa perseguição,  rolinhas, sanhaçus, beija-flores, sabiás, siriris, juritis e mais raramente o pequeno pica-pau-anão-barrado ( Picumnus cirratus), mostrado na foto. Trata-se de  um  exemplar considerado extindo em certas áreas urbanas, que tem hábito solitário e faz um barulhinho, típico do pica-pau, na madeira, ao se alimentar de larvas de besouros e formigas que frequentam as amendoeiras.
     Centenas de metros cúbicos de madeira, de árvores tradicionais, estão sendo retirados pelas administrações municipais, será que é mais um golpe de desvio de verba pública para "Projetos Ambientais", originando firmas de paisagismo fantasmas, especialmente contratadas para esse fim?
     Até quando teremos que assistir ao sofrimento torturante de um filhote de Pau-Brasil, Gerivá, ou Ipê-Amarelo, crescendo solitariamente na insolação de uma árida calçada, entre o trânsito, tendo seus brotos constantemente quebrados por pedestres inescrupulosos ?
 
VAMOS LUTAR POR UMA DECLARAÇÃO UNIVERSAL PELO DIREITOS DAS ÁRVORES, FAÇAMOS ALGUMA COISA, ANTES QUE SEJA TARDE.
 
     Segue abaixo alguns detalhes desta frondosa e maravilhosa árvore, AMENDOEIRA:
Nomes populares: Amendoeira; castanheira; chapéu de sol.
Classificação Botânica:
Divisão: Angiospermae
Classe : Dicotiledoneae
Ordem: Myrtales ou Mirtiflorae
Família: Combretácea
Gênero/Espécie: Terminalia sp.
Função ecológica:
Suas folhas, ricas em sais minerais e vitaminas, nutrem várias espécies da fauna herbívora, assim como o epicarpo (parte mole externa à semente) dos seus frutos. Floresce duas a três vezes ao ano, em cachos de pequenas flores pentâmeras (em formato de estrelinhas de cinco pontas), ricas em néctar e pólen, favorecem a vida de inúmeros insetos polinizadores. A densidade da copa, com farta galhada, favorece abrigo para nidificação de várias espécies de pássaros silvestres. A queda anual de grande quantidade de folhas fornece nutrientes minerais para os ciclos biogeoquímicos, responsáveis pela reciclagem dos nutrientes minerais contidos no húmus, basta colher as suas folhas num local a parte, molhar e cobrir com lona plástica.

     Relações com o homem:
     Árvore introduzida da África, foi largamente utilizada no litoral brasileiro, pela sua estética frondosa, rápido desenvolvimento e capacidade de sombreamento. Em condições ideais de nutrientes do solo, umidade e temperatura, sua copa pode atingir 7m de diâmetro em 5 anos e chega a ultrapassar 10m de altura e sua copa 15m de diâmetro em quinze anos.
 
Autor: Geraldo Monteiro, Biólogo/Gestor Ambiental, Diretor de Turismo Ecoarqueológico da ONG A TEIA - Portal do Meio Ambiente

Abra sua conta no Yahoo! Mail, o único sem limite de espaço para armazenamento!

2 comentários:

carlos roberto batista disse...

Moro em Sereno distrito de Cataguases Minas Gerais. Quem manda nas arvores nas ruas é a prefeitura. Quando a prefeitura resolçve a cortar uma arvore parea atender um eleitor como posso interromper o corte de uma arvore. Na minha rua tem 7 arvores frondosas com mais de 100 anos.4 não existem mais; Ontem quase cortaram o resto. Tive que impedir.Mais eles vão voltar. Onde consigo um documento que tenha mais validade do que a prefeitura. gratoPode escrever para mim;. Carlos Roberto batista.Rua jão Batista Correia Neto,70 Sereno ; Distrito de Catatguases. Cep; 36777000 Grato

Wilson Junior Weschenfelder disse...

O melhor dispositivo legal é a Lei Federal n° 9.605/98 que é a Lei de Crimes Ambientais, onde o artigo 49trata que é crime "destruir, danificar, lesar ou maltratar, por qualquer modo ou meio, plantas de ornamentação de logradouros públicos ou em propriedade privada alheia".

Com esse dispositivo você deve encaminhar uma solicitação de providências ao Miunistério público local para tomar as devidas atitudes.

Até mais.